RECOMECE POR JESUS

Padrão



“Vós, mulheres, estai sujeitas a vosso próprio marido, como convém no Senhor.

Vós, maridos, amai a vossa mulher e não vos irriteis contra ela”. Colossenses 3.18,19.

     Pelo menos desde Aristóteles, no século 4 a.C., a ética grega tratava os relacionamentos dentro do lar nos termos deste padrão: marido e esposa, pais e filhos, mestres e empregados. Com o interesse em ajudar e sempre muito atencioso em seus ensinamentos, o apóstolo Paulo se preocupa com o casamento e, iluminado pelo Espírito Santo, dá instruções para a família em suas cartas pastorais às igrejas de Colossos e Éfeso.

     A analogia feita nas Escrituras sobre o relacionamento do Senhor Jesus com sua igreja (eu e você) é o casamento. Jesus é o noivo e a igreja sua noiva. Quando pensamos nesta analogia de Jesus, já acontece em nossa mente uma reconstrução de ideias sobre o casamento. Por esse motivo o padrão estabelecido nas Escrituras sobre o casamento é tão alto. A pergunta que surge é: será que vamos entregar tão grande amor e dedicação? Certamente já erramos bastante no relacionamento conjugal por causa de nossas imperfeições. Mas sempre há um caminho para recomeçar.

     Nos versículos 23 e 24 de Colossenses há um apontamento para a resolução: “Tudo o que fizerem, façam de todo o coração, como para o Senhor, e não para os homens, sabendo que receberão do Senhor a recompensa da herança. É a Cristo, o Senhor, que vocês estão servindo”. Devemos buscar sempre a melhoria e o aperfeiçoamento, de todo seu coração, fazendo isso para o Senhor Jesus, pois nosso casamento é do Senhor, nossa casa é do Senhor e nossos filhos são do Senhor! Recomece, assim, amando Cristo antes de tudo.

Matheus Araujo

“INTERIORES”

Padrão

Vida familiar dentro de quatro paredes

      O mês de maio é considerado por muitos como um mês bonito e especial, e isso está muito relacionado à ênfase que se dá a família. Maio é considerado o “Mês da Família”! Por isso, vemos nos aprofundar também neste tema tão necessário, urgente e que afeta a nossa vida de alguma forma. Todas as famílias enfrentam desafios, convivem com lutas e estão longe do que poderia ser considerado perfeito, aliás, a exigência de um padrão de perfeição só torna as coisas ainda mais tensas, tendo como pano de fundo a ampla exposição em redes sociais.

      A família é um grande e maravilhoso projeto de Deus para todos nós, aprendemos muito no ambiente familiar e é justamente neste espaço onde temos o contato com as nossas primeiras experiências de carinho, proteção e afeto. Por tudo isso é que precisamos orar pela nossa família não desistir dela jamais. Deus nos ama, nos guarda e supre as nossas necessidades em casa e a presença de Jesus é a garantia de que podemos conhecer alegria na família.

      Faça deste tempo de reflexão durante esse mês uma grande oportunidade para avaliar, rever, perdoar, recomeçar e dispor o coração para o novo de Deus em seu lar. Pode ser que até aqui as coisas não saíram do jeito que você sonhava, mas olhe para Jesus e siga em frente clamando pelo socorro de Deus e pela ajuda que só Ele pode oferecer nos momentos mais complicados. Toda família pode ser o alvo da graça e da benção de Deus!

      Boa semana para você e para a sua família! Que Deus abençoe a sua família!

Pastor Arthur Júnior

RENÚNCIA

Padrão

     Renunciar a algo que não nos importamos muito não é tão difícil, mas e quando precisamos deixar para traz algo que é importante para nós? Será que vivemos uma vida com essa disponibilidade? Não podemos nos enganar que para ter uma vida cristã que condiz com a Palavra de Deus requer disponibilidade para deixar para trás muitas coisas.

     Para a nossa sociedade colocar o outro em primeiro lugar é visto como uma fraqueza enorme, chegando até a ser considerado uma burrice. Porém, quando olhamos para o Evangelho, temos Jesus dizendo totalmente ao contrário sobre esse assunto: “Então Jesus disse a seus discípulos: “Se alguém quer ser meu seguidor, negue a si mesmo, toma sua cruz e siga-me” …” (Mt 15.24).

     Ao olharmos para a história da redenção vemos o Criador se fazendo humano para viver entre nós, os não merecedores, e nos mostrando que abrir mão da Sua glória celestial é sobre amar. Talvez você já tenha renunciado um emprego, ou algum cargo, amigos, um relacionamento, ou ainda, seu orgulho com a intenção de perdoar alguém que não merecia. Saiba que se você abriu mão de algo importante por amor a Cristo, não pense que Ele não valoriza, Deus vê todas as coisas.

     Jesus deixou para trás muitas coisas por amor ao seu Pai e por nós. Pensando assim quero encorajar você a perder. Creia que vai valer a pena, pois o que você vai ganhar com a sua renúncia será o melhor dos presentes: a aprovação de Deus.

Guilherme Calado

JESUS VEIO PARA NOS SALVAR

Padrão

“Pois o próprio Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos”. Marcos 10:45.

     Quando João e Tiago vieram a Jesus fazendo o pedido de se sentarem à sua direita e à esquerda, Jesus respondeu que eles não sabiam o que pediam. Jesus estava caminhando para a cruz.

Pronto para beber do amargo cálice do sofrimento. Os filhos de Zebedeu, Tiago e João não imaginavam que, dentro em pouco, dois ladrões seriam crucificados um à direita e outro à esquerda do Messias.

Vivemos em uma sociedade em que muitos olham para Jesus como um Messias triunfalista, que veio para estabelecer o seu Reino neste mundo e satisfazer os desejos do seu coração. Muitas pessoas estão atrás de poder, de fama, de reconhecimento, de conquistas e realizações. Querem viver em função de seus próprios interesses terrenos e o foco é a ambição pelo dinheiro e bens materiais. Precisamos reconhecer que a cruz é mais do que um exemplo de serviço, é também o alicerce para a nossa esperança como pecadores. Jesus declara a razão para a sua crucificação: “o filho do Homem veio para dar a sua vida em resgate de muitos”.

Esse resgate é necessário, pois o homem está condenado devido ao pecado, ele se tornou escravo do pecado por meio de sua desobediência. Diante disso, ele se encontra incapaz de conseguir sua própria libertação e salvação. Jesus voluntariamente se sacrifica a fim de libertar-nos dessa escravidão, pagando o preço necessário pela nossa liberdade. O preço que ele pagou foi através de sua própria vida, do seu sangue derramado na cruz. Por isso hoje podemos viver livres da opressão do pecado, desfrutar da comunhão com Deus, pois Jesus veio para nos salvar.

Pastor Leandro

SOBRE O SOFRIMENTO

Padrão

“Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo.”

João 16:33

     O Salvador do mundo sofreu. O símbolo dos cristãos é uma cruz, um instrumento de tortura, onde o Senhor deles foi pregado, afligido e morto. O sofrimento é uma forte característica da caminhada cristã. Não é uma caminhada para nos purificar, para pagar alguma dívida, pois nos cristãos cremos que tudo, mas tudo mesmo, foi pago por Jesus no calvário. Os cristãos sofrem, choram e alguns ainda são torturados por não fugirem da dor do outro e da sua própria dor. Assim como o Cristo, os cristãos aprendem a ter compaixão do próximo, e andam não por caminhos de fugas, de entretenimento, de massagem do ego ou de anestesiamento existencial. Os cristãos seguem o caminho da cruz, que é o caminho de negar a si mesmo, de se expor pelo bem do outro. Seguem pelo caminho do amor. Dizia meu professor Davi Germano no Seminário Presbiteriano em Campinas: “Só tem um coração limpo quem põe a mão na sujeira”.

      A Bíblia nos ensina que o fato de termos abandonado o Autor da Vida gerou em nós e no ambiente em que vivemos vários dramas, como: dores, caos, sofrimentos e mortes.

     Em Cristo e por Cristo provamos de uma nova vida, onde a sua paz nos envolve e nos guia. Cristo não nos tira do ambiente de sofrimento, mas nos dá condições vitais e poderosas para passar pelos “vales da sombra da morte”. A Bíblia não se preocupa em responder todas as perguntas sobre o sofrimento, mas por inúmeras vezes declara que o grande diferencial da vida é que Ele está sempre conosco, sempre ao nosso lado, sempre presente

Os cristãos são alegres porque são casas de Deus, pois receberam a paz de Cristo. Mas enquanto caminham alegres, eles caminham também lamentando, expressando com voz e vida que reconhecem que tem algo muito errado no mundo e em nossos corações. Mas pela fé no Cristo declaram que em breve todo esse sofrimento passará e que a vida prevalecerá.

Pr. Rômulo Costa

ELE VIVE! ALEGRE-SE!

Padrão

“Os seus olhos, porém, estavam como que impedidos de o reconhecer.” Lucas 24.16


      Nessa mesma época no ano passado, acordei com o coração agitado e feliz por saber que era Páscoa. Mas após alguns movimentos meus dentro do apartamento percebi que era mais um dia “normal” em nossa rotina de isolamento. Fiquei abatido pois não iríamos nos reunir fisicamente com nossos irmãos de fé para celebrar a ressurreição de Jesus.

      Isso trouxe um grande impacto e angústia em meu coração, por saber que às vezes em minha vida o meu contentamento é mais condicionado por movimentos externos do que internos. Por alguns instantes fiquei impedido de enxergar, sentir e agradecer pelos efeitos da ressurreição de Jesus, por ser contagiado com minha própria rotina. Que grande perigo. Caí na mesma falha que os discípulos no caminho de Emaús cometeram – eles ficaram sem esperança, abatidos pela notícia da morte de Jesus, e com o pensamento “o que será de nós sem Jesus?”. E sequer perceberam que o próprio Jesus estava ali com eles.

      Não deixe que as circunstâncias externas impeçam você de enxergar as maravilhas e os resultados de crer em um Jesus vivo que venceu a morte. Comemore a Páscoa antes de tudo no mais interior de sua vida. Ele vive! Feliz Páscoa.

Matheus Araujo

NÃO PENSE DE SI MESMO ALÉM DO QUE CONVÉM

Padrão

 

“Porque, pela graça que me foi dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém; antes, pense com moderação, segundo a medida da fé que Deus repartiu a cada um” – Rm 12.3

     No mundo digital das postagens e selfies, o ser humano pós-moderno é incentivado a cada vez mais publicar textos, vídeos e imagens que demonstrem que ele não está por baixo, como numa subjetiva competição de quem se sai melhor.

     A ostentação de coisas, conhecimento, influência e até mesmo aparência não é coisa dos dias de hoje. Imperadores romanos consideravam-se semideuses – Augustus – e povos conquistados eram vistos como inferiores por seus colonizadores.

     Enquanto a humanidade caminha na estrada larga do orgulho, o cristão, como cidadão do Reino, segue pelo caminho estreito da humildade, do amor ao próximo, “…considerando cada um os outros superiores a si mesmo” – Fl 2.3.

     O cristão não é melhor que o incrédulo, não é superior e muito menos merecedor do favor divino, mas o que o difere de qualquer outra pessoa é que a graça de Deus o alcançou, e essa graça é que não o deixa pensar de si mesmo além do que convém. Quando a graça alcança o pecador, o orgulho não tem lugar.

                                         Pr. Guilherme Sant’Anna

VIVENDO PARA A GLÓRIA DE DEUS

Padrão

Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.

Gálatas 2.20

     Quando o pecado entrou na humanidade, passamos a olhar para nós mesmos e idolatrar nossa própria existência. Precisamos sempre ser os primeiros, queremos os lugares de honra, buscamos reconhecimento, prestígio e mais um tanto de coisas semelhantes.  Com isso vieram os conflitos, a competição, as guerras e todo o mal decorrente. No final das contas, eu importo mais do que os outros.

     O evangelho, entretanto, nos liberta dessa prisão do “eu”. Jesus veio mostrar que, na verdade, não passamos de escravos sem valor e condenados. Precisamos de um resgatador, um salvador, alguém que tenha misericórdia de nós. E o senhor Jesus é essa pessoa. O Deus que renunciou à sua glória, para nos livrar da condenação eterna. Com o seu sacrifício, nos deu uma nova vida, que é completamente diferente da antiga forma de viver.

     Como o apóstolo Paulo afirma em sua carta aos gálatas, agora não somos mais nós que vivemos, mas Cristo vive em nós. Somos habitados pelo próprio Deus e toda nossa existência deve apontar para ele. Esse é o sentido da palavra “glorificar”, ou seja, mostrar, revelar, apontar para.

     O Deus Trino é infinitamente mais maravilhoso que qualquer ser criado, toda beleza e majestade estão nele. Sendo assim, quem somos nós? Não há sentido em buscarmos glória para nós mesmos, quando podemos revelar aquele que É!

Pr. Marco Aurélio

VENCENDO A PROCRASTINAÇÃO

Padrão

“Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, e sim como sábios, remindo o tempo, porque os dias são maus.” Efésios 5.15,16

     Procrastinar é adiar ou deixar para depois aquilo que deve ser realizado agora, no presente momento. Por medo, timidez, falta de foco ou preguiça, o procrastinador segue adiando tarefas cotidianas, cuidados com a saúde, decisões importantes, e até mesmo sonhos e projetos de vida, experimentando stresse, culpa, angústia, instabilidade na família e no trabalho e, o mais grave, perdendo as ricas oportunidades que o SENHOR nos dá em nosso breve tempo de vida.

     Por isso o apóstolo Paulo nos exorta: “…vede prudentemente como andais… remindo o tempo…”. Remir o tempo significa, no original grego, “fazer uso sábio e sagrado de cada oportunidade” que o SENHOR nos dá. “Porque os dias são maus”, completa o apóstolo. Vivemos dias em que as pessoas perdem muito tempo com várias práticas vazias de sentido e sem propósito, deixando de lado o que realmente importa.

     Que o Espírito Santo, aqueça nossos corações com paz e santa disposição para realizarmos o que estamos adiando há algum tempo! Comece hoje aquele plano de leitura da Palavra, a reconciliação com a pessoa amada, a caminhada com o cônjuge, o sonho de Deus adormecido no coração. Comece hoje! Aleluia!

Pr. Marcus Vinícius

O VENENO DA IRA

Padrão

“Meus amados irmãos, tenham isto em mente: Sejam todos prontos para ouvir, tardios para falar e tardios para irar-se, pois a ira do homem não produz a justiça de Deus.” Tiago 1.19-20

     Diversas situações na nossa vida nos levam à indignação e por vezes, até à ira. De algum tempo para cá, o discurso do ódio se tornou muito comum nas redes sociais e na vida real. De todos os lados vemos intolerância, militância e falta de aceitação às opiniões contrárias. Tornou-se bonito dizer o que pensa sem se preocupar se alguém será ferido com a declaração. Fato é que vivemos dias estranhos.

     A carta de Tiago é muito prática. O assunto mais conhecido que foi tratado por Tiago é a fé, as obras e a relação entre elas. O versículo 20 traz uma bela orientação para aqueles que desejam viver conforme o que Jesus ensinou. Parafraseando, Tiago nos aconselha a ouvir muito, mas falar e se irar pouco.  Em tempos nos quais todos têm oportunidade de fazer conhecida sua opinião, este é um conselho valioso.

     Isso não quer dizer que vamos ficar quietos, internamente indignados com as coisas que acontecem no mundo, e aceitar pacificamente aquelas que desagradam ao Senhor. Seguir o conselho bíblico de Tiago deve nos levar a confiar inteiramente na justiça do Senhor, sabendo que a nossa ira desmedida não produzirá nenhum benefício – nem para nós, e muito menos para a família cristã. Entregue suas frustrações, sua indignação, e sua ira ao Senhor! Ele o justo juiz e o Pai amoroso que pode transformar os nossos ouvidos, boca e coração para ser benção onde estamos.

Bruna Campos Araújo