MENOS DE MIM, MAIS DE TI

Padrão

“Portanto, como povo escolhido de Deus, santo e amado, revistam-se de profunda compaixão, bondade, humildade, mansidão e paciência.” Cl. 3:12

Um dos maiores argumentos usados durante esse período de quarentena é a seguinte frase: “pense no outro”. Uau, que melhor forma de exercitar a nossa empatia e pensar menos em nós e mais no outro.

Estávamos tão cegos e com sede de conquistas e pensamentos como “eu preciso”, “eu quero”, “eu não tenho tempo”, “tudo eu” que mesmo em uma pandemia foi necessário um apelo como esse, um grito desesperado para que o meu eu diminuísse e a compaixão crescesse. Sim, hoje eu quero falar dessa palavra que precisa estar no nosso dia a dia. Sabe por que? Porque Jesus viveu uma vida de compaixão, suas atitudes eram sempre pensando no outro. A sua morte foi pensando em mim, pensando em você.

Nós precisamos ser cada vez mais parecidos com o nosso criador e a compaixão é um sentimento essencial para essa conquista. Precisamos parar de pensar no nosso ganho e se importar com os nossos familiares, nossos vizinhos, nossos colegas de trabalho, nosso irmão da igreja. Existe uma canção que eu gosto muito que diz assim: “quanto menos de mim, mais de Ti. Que cresça mais e mais a Tua luz e o mundo inteiro possa ver”.

Que o mundo inteiro possa ver um corpo de Cristo que enquanto durarem as calamidades e até a vinda do nosso Salvador o nosso coração estará revestido de compaixão.

Guilherme Calado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *